Aspectos Culturais

mae_amamentandoAo consultar um dicionário, constatamos que definem, ao mesmo tempo, embalar como significando empacotar, enfardar, acondicionar, encaixotar, dizendo do mesmo verbo que significa balançar a criança para adormecê-la, acalentar, acarinhar, afagar, encantar, entreter, iludir, impulsionar, acelerar. É também carregar uma arma com bala.

Em todos os casos citados, embalar significa movimento ou ação. Significa fazer um objeto seguir do lugar em que é produzido para o lugar onde é desejado pelo seu valor ou por sua utilidade.

Portanto, a embalagem é uma arte com características de ciência pois protege o objeto embalado e zela por sua integridade como se zela por sua saúde.

A embalagem será também uma referência dos sistemas culturais que predominam (ou predominaram) em sua época e em seu lugar de origem ou destino, sendo um dos representantes étnicos de uma sociedade, pois atesta coerentemente a arte e a técnica, juntas nos caminhos do funcional e do simbólico, como as embalagens artesianas ou semi-artesanais encontradas em nossas feiras e mercados populares.

Segundo João Canduro, Ludovico Martino e Marco Resende, Desenhistas Industriais, (em “Por uma nova Embalagem: Dez lições da embalagem popular”), as embalagens industrializadas deveriam atender a alguns requisitos que são característicos das embalagens populares. Em suma, os requisitos são:

  1. A forma deve exprimir a cultura da comunidade de produtos/consumidores, sem introduzir valores, técnicas ou materiais alienígenas.
  2. A forma será simples e despojada: essencial. Com elevada qualidade estética.
  3. O ornamento não será um simples meio para gerar atração visual. Além de agenciar um repertório de signos de alto significado cultural, objetivará a Beleza.
  4. A embalagem cumprirá, perfeitamente, suas funções: proteger, armazenar, permitir o transporte e a conservação, e a honesta exposição e avaliação do produto.
  5. Não haverá desperdício. Materiais serão naturais, renováveis e obtidos, sempre que possível, pela reciclagem de outras matérias-primas artificiais.
  6. Os estoques, em todos os sentidos, serão mínimos, resultado da integração produção / distribuição / consumo.
  7. Entre projeto e produção, não haverá solução de continuidade. O designer possuirá um profundo conhecimento da produção, o produtor compreenderá o processo e a proposta do projeto: falarão uma mesma linguagem.
  8. A pesquisa será permanente, visando otimizar a performance da embalagem. Novos materiais, novas técnicas, novas formas serão sempre investigadas. Sempre com muito cuidado para não violentar a cultura da comunidade.
  9. O produtor não se esconderá atrás de uma marca-escudo. A qualidade do produto e da embalagem será a qualidade do produtor. Seu compromisso com a comunidade estará sempre acima de qualquer outro valor.
  10. A embalagem jamais será inútil ou prejudicial. poderá ser reciclada, transformada em insumo para outra atividade. Jamais será poluente; nos casos mais críticos, será absorvida pela natureza, sem deixar restos.

embalagens_naturais.
Enfim, para sintetizar, a embalagem deve buscar a perfeição da embalagem natural: da casca de banana, da concha da ostra, do ovo, da casca da semente.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Fale Conosco
"
Trabalhos Recentes
Sites para E-Commerce
Parceria
" "